O Ministério da Saúde convidou empresas de tecnologia, instituições governamentais e sociedade civil da área da tecnologia a participarem de um encontro, que aconteceu nesta terça feira (17/09) em Brasília/DF, para discutir projetos de informatização para a Atenção Primária à Saúde (APS), que é a base do Sistema Único de Saúde, onde as doenças mais frequentes são acompanhadas, como diabetes, hipertensão e tuberculose.

A proximidade da Equipe de Saúde da Família (ESF) com a comunidade permite que se conheça melhor o cidadão, garantindo maior adesão aos tratamentos e às intervenções médicas propostas. Assim, neste nível de atenção, é possível resolver cerca de até 80% dos problemas de saúde, sem a necessidade de intervenção na emergência de Unidades de Pronto-Atendimento (UPA 24h) ou de hospitais.

DEBATE ATUAL
Conforme publicado no site do Ministério da Saúde, o encontro proposto teve como principal objetivo levantar soluções que contemplem os serviços necessários para informatizar as unidades de saúde, além do suporte técnico para o uso do Prontuário Eletrônico do Cidadão (PEC) nas cerca de 42 mil Unidades de Saúde da Família (USF) de todo o país.

O Ministério está construindo um projeto de apoio a informatização que se adapte as necessidades e demandas de cada município. Por isso, quer ouvir profissionais do setor tecnológico nesta primeira etapa, buscando construir a solução mais viável e adequada que atenda a todas as unidades da Atenção Primária à Saúde.

A expectativa é que o projeto seja lançado até o mês de dezembro desse ano, com a portaria devidamente assinada e os recursos sendo repassados para os Municípios.

PERGUNTA EM DESTAQUE NO DEBATE

Municípios que já possuem a informatização por recurso próprio deverão se adequar a parametrização do Ministério? Poderemos utilizar esses recursos como adicional ao sistema já utilizado? 

Não há necessidade de adequação. No momento do lançamento do programa estarão contempladas duas portarias: uma validando todos aqueles municípios já informatizados (que enviam dados em quantidade e qualidade suficientes a partir de sistemas de prontuário eletrônico). Todos os municípios serão automaticamente credenciados. Os requisitos de hardware e software feitos pelo Ministério da Saúde são unicamente sugestões. O modelo é liberal. O Município é um ente federado independente, ele escolhe a solução que mais se adequar ao seu caso. O Ministério parabeniza os municípios que promoveram a informatização sem ajuda. E agora a ideia é dar uma certa recompensa a todo trabalho já realizado. Como recurso novo, provavelmente os Municípios agora vão fazer investimentos em partes de TI que hoje ainda não tem condições. Talvez fazer um aditivo à solução de software, por exemplo, incorporando novos módulos que a empresa contratada passará a oferecer. Melhorando seu parque tecnológico, estrutura de conectividade, fazendo o que bem entender como necessário no momento. 


A Vivver Sistemas está habilitada para atender os municípios que aderirem aos projetos de informatização das Unidades Básicas.

Nossos clientes, que já possuem o sistema implantado, estarão respaldados e poderão utilizar a verba do Governo para subsidiar o investimento.

Atuamos no mercado de Tecnologia da Informação há 20 anos e estamos preparados para suprir as necessidades do seu município no que diz respeito a informatização e gestão dos serviços de saúde.

O Vivver Saúde Pública é uma ferramenta em Plataforma Web que promove o gerenciamento das ações de saúde e tem como objetivo monitorar o atendimento e a história clinica dos cidadãos, desde o acolhimento, passando pelo agendamento ou remarcação de consultas, distribuição de medicamentos, registro e disponibilização dos resultados de exames, encaminhamentos, retornos, dentre outros serviços. 

Possui todos os requisitos tecnológicos necessários à execução de ações que visam organização, controle e planejamento na gestão da saúde. Integra e automatiza as atividades administrativas e gerenciais, proporcionando ao Gestor a racionalização e otimização dos recursos disponíveis. 
Permite que o Profissional acompanhe as condições de saúde dos usuários do SUS com maior rapidez e eficiência, acessando a história clinica do usuário através do Prontuário Eletrônico do Cidadão. Proporciona aos usuários conforto, segurança e agilidade no acesso aos serviços prestados.
Reiteramos que a nossa equipe permanece comprometida em atender a todos os municípios, como sempre.

Share This