Além da infraestrutura tecnológica, centralização das informações é um dos passos importantes para implantação do conceito de Cidade Inteligente.

A centralização de informações na administração pública municipal, através da integração dos diversos sistemas utilizados nas Prefeituras, é um dos passos importantes para os municípios que buscam se tornar efetivamente uma cidade inteligente, que oferecem condições de promover melhorias na qualidade de vida das pessoas.

Com a integração dos sistemas, os dados das mais variadas Secretarias, como Finanças, Saúde, Educação e Assistência Social, passam a integrar uma plataforma única de gestão e reconhecer o cidadão como um ente único na administração pública municipal. “O grande diferencial é propiciar uma visibilidade mais completa em relação à gestão dos dados. Quando se tem softwares integrados, o gestor consegue otimizar os recursos e os serviços da Prefeitura como um todo. É a melhoria e otimização dos processos internos dos órgãos públicos”, explica Larissa Tavares – Diretora de Marketing e Negócios de uma empresa de Tecnologia. Ela acrescenta que a integração dos sistemas facilita a prestação de contas públicas aos Tribunais e Governos.

Mas unificar uma base de dados não é uma tarefa fácil, conforme ressalta o gerente de Tecnologia da Informação da Prefeitura de Ouro Preto, Minas Gerais, Rafael Gomes. Segundo ele, o caminho para tornar as cidades inteligentes requer investimentos em infraestrutura tecnológica confiável e servidores capacitados. “Não é uma fórmula mágica. É importante a visão dos gestores, de quem está à frente nos municípios, entenderem a importância desse caminho e principalmente fazer investimentos na área. Centralizar a informação é fundamental, mas o que vemos principalmente em prefeituras de pequeno e médio porte é que não possuem setores de tecnologia estruturados”, observa Gomes.

A cidade histórica mineira, tombada como patrimônio cultural da humanidade, começou a investir em infraestrutura tecnológica e conectividade em 2017, de acordo com Gomes. Ele destaca os ganhos na Saúde pública municipal, com a implantação de prontuários eletrônicos integrados, que melhorou a gestão dos serviços prestados, desde a dispensação de medicamentos, agendamentos de consultas e exames à comunicação com os pacientes.

A coleta de informações pelos agentes de saúde de Ouro Preto também será informatizada, segundo o gerente de Tecnologia, com o uso de tablets. “O trabalho de atenção primária vai ser muito mais otimizado, atualizando essas informações e já caindo em tempo real no sistema. Hoje é um trabalho manual, extremamente passível de falha”.

Transparência – A modernização da Prefeitura também contribuiu para que Ouro Preto pulasse de uma nota de 1,9 na escala Brasil Transparente, em 2016, para 8,85, em 2019, colocando Ouro Preto como a sexta cidade mineira mais transparente, conforme ranking do Ministério da Transparência e Controladoria Geral da União (CGU). “O sistema integrado não resolve a transparência, mas é fundamental para cumprir boa parte do que exige a CGU (Controladoria Geral da União)”, completa.

Prefeituras Digitais – Outra cidade que investe em tecnologia e caminha para abolir o papel na gestão municipal é Andradas, cidade com mais de 40 mil habitantes e localizada na divisa com o Estado de São Paulo. Desde o início deste ano adotou a gestão eletrônica de documentos.

Segundo o prefeito, Rodrigo Lopes, o primeiro passo foi informatizar o setor de análise de projetos e alvarás da construção civil. “Tivemos uma maior celeridade dos procedimentos. Hoje a pessoa sabe onde que está o protocolo dela, isso dá até mais transparência também”, analisa o prefeito.

Os investimentos tecnológicos em Andradas também facilitaram a continuidade dos serviços da Prefeitura durante a pandemia, segundo o prefeito, colocando diversos setores municipais em trabalho home Office. “Você consegue ter acesso aos processos de maneira remota para ir tomando as medidas. Auxilia muito na celeridade, na tomada de decisão e na acessibilidade”, ressalta o prefeito.

São diversas inovações em andamento em Andradas, conforme conta o prefeito. Em parceria com o poder judiciário estão sendo implantadas 24 câmeras de monitoramento na cidade. O georreferenciamento da área rural com o projeto CEP Rural, conforme o prefeito, resolveu o problema das famílias que precisavam solicitar serviços emergenciais, por exemplo, e dos profissionais para o atendimento.  “Temos muito a concepção das cidades digitais e estamos tentando melhorar o acesso do cidadão aos serviços”, finaliza o prefeito.

Para a diretora de Marketing e Negócios – Larissa Tavares, a tramitação dos processos de forma eletrônica é a principal agenda para governos digitais. “As empresas têm investido mais nas soluções estratégicas para fazer a tecnologia trabalhar para o gestor público. E a maioria dos municípios tem percebido realmente a necessidade de se investir em infraestrutura. A conectividade é o primeiro passo para se tornar uma cidade inteligente, possibilitando incorporar serviços que são importantes ao cidadão”, completa Larissa.

Autor: Sharlene Sarti
Fonte: Rede Cidade Digital

Share This