A Vivver Sistemas parabeniza a cidade de Montes Claros e a todos os Montes-Clarenses pela comemoração, na última sexta-feira (03/07) dos 164 anos como município.

Devido a pandemia da COVID-19, pela primeira vez ao longo das últimas décadas, o aniversário da cidade não teve comemoração presencial.

Nesta data, a população local sempre teve acesso gratuito à Expomontes – Exposição Agropecuária Regional de Montes Claros. A 46ª edição da feira agropecuária que seria realizada de 02 a 12 de julho, também foi cancelada por causa do isolamento social, medida preventiva contra a transmissão do coronavírus.

Ainda sem data, a Câmara Municipal de Montes Claros realizará a entrega da Medalha de Honra do Município. Os vereadores escolheram como homenageado deste ano o secretário de Meio Ambiente de Montes Claros, Paulo Ribeiro. Ainda devido à pandemia, a prefeitura do município suspendeu inaugurações de obras e outras atividades comemorativas.

Dulce Pimenta – Secretária Municipal de Saúde de Montes Claros apresenta os investimentos na Saúde nos últimos anos

A única atividade relacionada ao aniversário da cidade foi a live solidária “Expomontes”, transmitida pelas redes sociais da prefeitura (Instragram e Facebook), com a participação de artistas regionais, entre eles Kaio Marques e Nataly, Bárbara Lopes, Edmilson Batista, João Victor e Matheus e DJ Samira Lima.

Além de marcar o aniversário da cidade, a realização do evento teve como objetivo arrecadar donativos que serão encaminhados a famílias de artistas na cidade, categoria particularmente atingida pela crise gerada pela pandemia.

O aniversário é comemorado nesta data, levando-se em conta que em 3 de julho de 1857, Montes Claros foi elevada à condição de município. Mas, na verdade, emancipação da cidade ocorreu em outra data, em 16 de outubro de 1832, apontam os registros históricos.

A polêmica sobre a data de emancipação político-administrativa do município é objeto de um estudo do professor Laurindo Mékie Pereira, do departamento de História da Universidade Estadual de Montes Claros (Unimontes), juntamente com os professores Thiago Pereira e Francisco Rocha, respectivamente mestre e mestrando do Programa de Pós-Graduação em História (PPGH) da mesma instituição.

Eles elaboraram o trabalho “A Invenção do 3 de julho” no Podcast “Tempus – Combates pela História”. A produção está disponível na internet, por meio dos aplicativos Spotify, Deezer e Google Podcasts e, ainda, no Instagram.

Conforme os professores de História da Unimontes, em 13 de outubro de 1831, foi publicado o decreto do Império que emancipa o então Arraial das Formigas, elevando-o à Vila de Montes Claros das Formigas, o que, à época, significava a emancipação político-administrativa da localidade, que pertencia ao Serro Frio (atual Serro).

Mas somente em 16 de outubro de 1832 foi implantado o município, conforme determinava o decreto do ano anterior: com câmara municipal, cadeia e pelourinho. Mas, 25 anos depois, chegaria à data que viria a provocar a polêmica sobre o aniversário da cidade: 3 de julho de 1857, quando Montes Claros obteve o Título de Cidade.

CENTENÁRIOS

O professor Thiago Pereira lembra no podcast que, em 16 de outubro de 1932, foi comemorado “o primeiro centenário de Montes Claros”, com base no decreto imperial que emancipou as vilas brasileiras. “Houve apresentação da banda euterpe e missa campal para celebrar os 100 anos”, resgata.

Porém, explica o professor Laurindo Mékie, em 03 de julho de 1957, aconteceu uma nova comemoração de centenário alusiva aos 100 anos da obtenção do “Título de Cidade”.  A festa foi propositalmente criada pelas lideranças da época, a partir da idealização do médico, escritor, folclorista e político Hermes de Paula. “Era algo para se aliar ao momento desenvolvimentista que o Brasil vivia com o Governo Juscelino Kubistcheck que, aliás, foi uma das ilustres presenças nas comemorações deste segundo centenário”, explica Mékie.

Centenário de Montes Claros com presença de JK em 1857                                            (foto: Dep. História Unimontes/Reprodução)

A Montes Claros dos anos 50 tinha uma economia particularmente agropecuária e pouca fama nacional, a não ser como “terra de cangaceiros e das intensas disputas de grupos políticos, vide o atentado ao então vice-presidente da República Melo Viana, em 1930”. A energia elétrica era racionada e o fornecimento de água não era suficiente para toda a população. Por isso, a força política local ignorou as rivalidades e idealizou algo que pudesse apresentar a cidade para o restante do Brasil e atrair investimentos. “O esforço local foi para construir outra imagem da cidade, inspirada no plano de desenvolvimento e modernização que JK criou para o País”, relata Thiago.

Na “Festa do Centenário” de 3 de julho de 1957, foram inauguradas em Montes Claros obras importantes como o Parque de Exposições da cidade e o Colégio São José. Além do presidente JK, o município governador à época (Chrispim Jacques Bias Fortes) e o escritor montes-clarense Cyro dos Anjos, imortal da Academia Brasileira de Letras (ABL), que era o então subchefe na Casa Civil da Presidência da República.

Desde então, explicam os   pesquisadores, virou uma tradição no município: celebrar o três de julho como o aniversário de Montes Claros. No entanto, a data verdadeira de implantação do município é 16 de outubro e em 2020, ao invés de 164 anos, Montes Claros vai comemoração 188 anos de emancipação politico-administrativa.

#ClienteVivver #MontesClaros #Aniversário #164anos #FestaCancelada #Coronavírus #Live  #IsolamentoSocial  #SaúdePública

Fonte: Prefeitura de Montes Claros, Secretaria Municipal de Saúde e Jornal Estado de Minas.

 

Share This